Dicas de treino para ATS®

Olá Passarinhx!

Hoje quero ajuda vocês com os treinos em casa.
Muitas alunas me perguntam minha quantidade de horas de treino e me pedem dicas para treinar em casa. Espero que este post ajude você a desenvolver ainda mais o seu ATS®. 🙂

Antes de começarmos com as dicas, é importante lembrar sobre o alongamento e aquecimento que deve ser feito antes e depois de cada treino. Isso é importe para desenvolver seu corpo e não causar lesões ou dores.

Se você tiver disponibilidade de tempo e condição financeira, o yoga (qualquer vertente) e pilates ajudam muito no nosso desenvolvimento, alongamento, consciência corporal, respiração e fortalecimento. Caso não possa, sem problema! Os treinos em casa irão sem dúvida dar resultados maravilhosos.

Qual deve ser a duração e frequência do treino?
Não existe regra. A prática poder variar de acordo com a sua rotina. O que importa é pensarmos no ATS diariamente. Uma prática simples de 5 minutos diários pode ser milagrosa! Então não pense que apenas os treinos de 4 horas causam efeito, TODA prática nos faz evoluir, porém, existe um detalhe importante, precisa ser uma prática CONSCIENTE. Sendo assim, reserve 5, 10, 15, 20, 60 minutos do seu dia. Pode ser todo dia, pode ser 1, 2, 3, 4 vezes na semana ou todos os dias. Comece com pouco tempo e conforme sentir necessidade, permita-se aumentar em alguns minutos sua prática.
Mas não deixe de treinar apenas porque pensa que é necessário 4 horas ou mais de treino diários. Não, não precisa. 😉 O que importa é estar consciente e que seja constante.
Marque na agenda, comprometa-se com você mesmo! E faça ser leve! Quanto mais detalhes precisarem existir, mais postergado será. Não tem espelho? Filme-se. Não tem um som alto? Use o do celular mesmo. Não pode tocar snujs? Existem abafadores e pratique sem eles caso os abafadores não sejam suficiente. Não tem desculpa e nem motivo para complicar. Apenas agende um dia com você mesmo e FAÇA!

O que é uma prática consciente?
É o fato de você estar atento as regras do movimento, de focar no que foi corrigido em aula e tentar, conscientemente arrumar durante o treino. É estar presente, cabeça e corpo, é não perder o foco, é treinar para realmente arrumar o que precisa.
Todos nós queremos subir no palco e simplesmente sentir os movimentos fluirem naturalmente no corpo. Essa é a última etapa! A prática consciente nos leva a este estágio, já que com ela ganhamos confiança, familiaridade com o movimento, aprendemos a respirar, entendemos o nosso corpo, nosso equilibrio.  É muito importante encontrarmos o equilibrio entre técnica limpa e transe em cena. Se os seus movimentos não estiverem bem treinados quando você apenas se soltar em cena, eles sairão cheios de vícios e técnica errada. Por isso é importante treinamos todos os passos do ATS de forma isolada e individual para que, em cena, tenhamos apenas a incrível experiência de dançar em grupo e nos divertir, sem ficar apenas preocupado em não fazer um braço ou outro corretamente.
O estágio de transe, de se soltar 100%, de curtir, fica bonito quando treinamos de forma consciente.
Algumas dicas para que você possa se analisar e ter este formato de prática:
– anote as correções da professora que foram feitas em sala de aula. Tente corrigir cada detalhe citado nos seus momentos de prática.
– Filme-se e depois analise. Esta dica só será positiva para você se souber se autoanalisar com amor, carinho e coerência. Não adianta nada assistir sua prática para apenas encontrar defeitos. Caso não sinta que poderá se analisar sem apenas se criticar, peça para sua professora olhar para você e te dar dicas. Tenho certeza que ela ficará feliz em ver seu empenho e terá tempo para você. Caso sinta que é possível achar erros e acertos, anote o que acha que precisa melhorar, o que conseguiu evoluir, o que vai tentar arrumar novamente no próximo treino.
– respeite seu corpo. Se naquele dia não está bem, sente que não conseguirá focar ou está lesionada, deixe seu treino para mais tarde ou para o dia seguinte. Seja responsável porém, não se sabote. Se identificar que é preguiça, ligue o som e vá dançar!
– peça para sua professora te ajudar, diga que não está satisfeita com seus braços, quadril, seja o que for. Peça para ela identificar o que precisa ser melhorado e leve isso para seus treinos.

DICA #1:
Repetição. Pegue uma música e treine ela do começo ao fim apenas com um movimento. Você pode brincar de ficar apenas no Body Wave na posição 2 por exemplo. Na outra música, brinque de fazer apenas bode wave mudando de braços, na outra, apenas body wave porém com todas as suas possibilidades. O importante é usar uma música inteira apenas para um movimento. O mesmo pode ser feito com os movimentos do repertório rápido e também com os toques dos snujs. Uma música inteira focada em apenas um movimento ou um toque.

DICA #2:
Braços. Faça uma música inteira apenas com as movimentações dos braços, sem deslocamentos, giros ou quadril. Pode ser do lento ou rápido. Finja que está dançando, mudando de passo, mas apenas seu braços de movem na postura correta do movimento. Isso nos ajuda a focar apenas neste momento sem aquele monte de coisas para fazer junto.  Se possível, com snujs para os dois repertórios. 🙂

DICA #3:
Quadril. Escolha uma posição de braços e fique com ela até o final da música. Apenas o seu quadril irá se mover. Neste caso, giros e deslocamentos são bem vindos. Faça o quadril dos movimentos de forma isolada, mude de passo durante a música, a ideia é fingir que está dançando normalmente, porém, apenas com o quadril. Ajuda muito!

DICA #4:
Solte a franga! 😛
Coloque uma música e simlplesmente dance, pratique as transições dos movimentos, seja rápido ou lento. Lembre de focar na importância da contagem dos tempos para o repertório rápido. Tente fazer os movimentos com as trocas corretas. Este treino irá te ajudar a desenvolver sua confiança, desenvoltura e personalidade.

DICA#5:
Desenvolva combos pessoais. Todos temos nossos passos preferidos. Tente criar sequências, transições bonitas, combinações geniais. Use esses combos nos seus momentos de liderança. É particular, é seu. Isso te ajudará a ter mais confiança além de ter que revisar as técnicas e regras dos movimentos durante a sua criação. Anote. Nós temos o péssimo hábito de esquecer esses combos. Deixe tudo anotado e permita-se editá-lo quando sentir necessidade.

DICA #6:
Desafie-se.
Pegue uma música que você julga difícil, rápida, linda mas com interpretação desafiadora. Tente dançar ela, não tem problema errar, mas tente! Não há alegria maior do que sentir que depois de algum tempo de prática ela já não parece tão assustadora assim. Quando isso acontecer, significa que você evoluiu!
Pegue uma música bem lenta e tente chegar no mais lento que puder.
Pegue uma bem rápida para trabalhar sua velocidade.
Pegue um lento dramático para desafiar-se na interpretação.
Aqui só vai dar certo se você sair da zona de conforto e realmente escolher a música certa para isso.

DICA #7
Limite movimentos. Sabia que podemos dançar sem fazer Egyptian ou Shimmy?
Binque de dançar o rápido sem fazer Egyptian. Brinque da fazer o lento sem poder usar Body wave, por exemplo. Isso que ajudará a resgatar outros movimentos para sua dança.

DICA#8: Comece e termine diferente. Nós criamos certos hábitos para as músicas que dançamos. Escolha uma música, de qualquer repertório e hoje ela será a única música dançada. Note se sempre começa a dançar com Egyptian. Se sim, na proxima tentativa tente começar com outro movimento. Veja como gosta de finalizar aquela música e tente mudar a cada nova tentativa. Comece e termine a mesma música de forma diferente. Se no meio dela descobrir que sempre faz aquele mesmo passo, naquele mesmo momento, tente mudar isso! Pratique sua criatividade e isso a deixará uma líder divertida e que sempre surpreende. Além de te ajudar como seguidora também.

Eu poderia dar inúmeras dicas sobre treino! Irei fazer outros posts com o mesmo assunto mais algumas vezes. Acredito que com estes treinos citados acima você já possa começar. 🙂
Compartilhem comigo, me contem como estão treinando, quero saber como anda sua evolução!

Bom treino!
Um beijo,
Rebeca PIñeiro

Um comentário em “Dicas de treino para ATS®

  1. Ameiiiii!!! Valeu, prof! Com certeza serão dicas que fortalecerão o estilo deixando ele mais limpo e elegante como é! Além disso, vai facilitar para todas a execução dos movimentos na liderança!!

    Muito grata, amore!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s